> Obamanation ?

Incensado pela quase unanimidade da opinião pública mundial como uma espécie de messias, que irá tirar o mundo das trevas, Barack Houssein Obama chegou à presidência da maior potência do planeta aclamado como um super-homem que rompeu as barreiras raciais.

Portador de uma aura de antípoda de G.W. Bush, Obama foi o candidato de todos os que clamam por mudanças na sociedade, sejam estas derivadas do bom senso ou mudanças radicais e sem bom senso como questões relativas ao aborto ou privilégios homossexuais.

Mas, efetiva e realmente, o mundo tem motivos para preocupação ou mesmo para esperança pela ascensão de Obama ao poder ?

Em primeiro lugar, entendo que a idéia de que o presidente americano é o homem mais poderoso do mundo é uma falácia. Seria o mundo tão vulnerável a ponto de estar nas mãos dos eleitores americanos, em especial dos poderosos eleitores da Flórida ? Seria o mundo uma imensa Cuba, dependente dos humores de um Fidel global ? Creio que não.

.O presidente americano é importante pelo que representa, é a face do império, o estandarte do poder. Mas não é o império e nem o poder do império.
O poder americano está nas corporações, na sua sociedade capitalizada; no aparato estatal/bélico (governo); em sua cultura de liberdade civil e na sua bem sucedida política de intervenção não invasiva (até porque as eventuais intervenções invasivas não tem resultado em plenos êxitos). Ou alguém duvida do poder de um país com 5% da população mundial e que consome um terço ou mais dos recursos do planeta ?

É notório o desgaste que a imagem americana sofreu com Bush filho num passado recente. As guerras do Iraque e do Afeganistão; a polêmica acerca do “aquecimento global” e as questões ligadas ao petróleo, dominaram o noticiário nos últimos oito anos.

A moda em todos os cantos do planeta foi queimar bandeiras com estrelas e listras. As viagens do mandatário americano foram cercadas por um imenso aparato de segurança. Há tempos a imagem do império não esteve tão mundialmente danificada.
Quem poderia mudar isso ? Como as cabeças pensantes do império solucionariam isso ? Barack Houssein Obama, “of course”.

Afora algumas providências emblemáticas e significativas para a agenda democrata, como um recrudescimento da guerra do Iraque, fim de Guantánamo, afagos nos abortistas e homossexuais, e quem sabe um alívio parcial no embargo a Cuba, não espero nada radical nas relações dos Estados Unidos com o “resto” do mundo.

A supremacia americana não foi construída da noite para o dia e não será esta mudança na vitrine que fará o império mudar. A águia americana continuará firme, forte e, digamos, “persuasiva” na medida das suas necessidades.
Obama percorrerá o mundo inteiro e será saudado como um astro mundial. Os que ontem queimavam bandeiras, agora as agitarão saudando o "pop star" da política.

As auto-denominadas “vanguardas” sentir-se-ão representadas naquele emblemático “homem mais poderoso do mundo”. Às suas costas, indiferente à pirotecnia sócio-ideológica, permanecerá a estrutura do poder político americano em sua vitoriosa e centenária marcha pela História.

Os entusiastas ingênuos demorarão um bom tempo para perceber que os Estados Unidos não são um homem e a supremacia mundial americana está fundamentada em muito daquilo que eles sonham que Obama mude. Até porque ele não mudará, pois democratas e republicanos são, no fundo, um mesmo partido com duas faces pseudo-antagônicas que se revezam na administração pública. Isso porque o poder político está sempre com os mesmos desde um longínquo 4 de julho...

Como disse Tancredi - Príncipe de Falconeri, personagem da obra “Il Gattopardo” de Tomasi di Lampedusa : “ ... tudo deve mudar para que tudo fique como está”.

O pior é saber que se não fosse dos americanos, a supremacia mundial seria da China ou da Rússia. Quem se arrisca ?

[F.R. Luz]

---z---

Um comentário:

  1. Marcio Sheibel25/05/2010 11:43

    comentários: Marcio Scheibel disse...
    "mudanças sem bom senso como a união homossexual"... que é isso meu? perdi tempo lendo seus textos.
    18 de maio de 2010 09:20

    ResponderExcluir